Você provavelmente já ouviu falar em algum momento sobre criptomoeda ou algo relacionado. Mas já parou para se perguntar qual é a real função prática da existência de uma criptomoeda no ambiente online? Pensando nisso, resolvemos criar esse artigo especial aqui no TFX Startup International para explicar a você a função prática da existência de uma criptomoeda. Se precisar de alguma ajuda, sinta-se à vontade para participar da seção de comentários! Lembrando que temos uma plataforma para compra de criptomoedas, com nome de CryptoStation. 🙂
 

Proposta das Criptomoedas

 
De forma geral, várias criptomoedas foram criadas ao redor do mundo com um propósito muito específico: oferecer ao mundo uma moeda pela qual não é regulamentada e/ou que seja controlada por um país em específico. Os idealizadores do projeto queriam uma forma de descentralizar a economia global (de forma macroeconômica), permitindo que a própria economia controlasse as oscilações diretamente.

Os idealizadores de várias criptomoedas acreditam que o estado não deve intervir em questões individuais, e que a própria economia é capaz organizar as sociedades e promover acesso ao crédito digital. Sendo assim, a primeira medida que podia ser feita em direção a esse pensamento é a criação de moedas descentralizadas e não regulamentadas, logo, “livres e reguladas pela economia”. E foi isso que eles criaram efetivamente as criptomoedas!
 

Como as Criptomoedas Surgiram

 
As criptomoedas digitais surgiram através de uma lista de e-mails (é sério). Nessa lista de e-mails, várias pessoas interessadas em criptografia. Os integrantes da lista conversavam e debatiam várias ideias sobre perspectivas tecnológicas, econômicas e políticas. Depois de algum tempo nessas discussões, uma pessoa com o pseudônimo de “Satoshi Nakamoto” elaborou e publicou, em 2008, o que seria o conceito base das criptomoedas.

E foi a partir daí, em 3 de Janeiro de 2009, Satoshi Nakamoto colocou esse conceito em prática, colocou o código em Open-Source e fez, ele mesmo, as primeiras 50 moedas. A esse primeiro código, e as moedas originadas dele, foi dado o nome de Bitcoin. Depois de algum tempo, outras criptomoedas surgiram no mercado e elas tem crescido a cada dia mais. Até hoje, não se sabe quem é a pessoa por trás do pseudônimo oficialmente.
 

Valorização das Criptomoedas

 
Ao contrário do que muitos pensam, os Bitcoins, por exemplo, não começaram valendo muito no período em que foi fundado. Na verdade, cada moeda valia exatamente U$ 0.00 USD (zero) em seu primeiro ano de existência. Somente a partir do ano de 2010, em seu segundo ano de existência, é que o Bitcoin começou a ser oferecido em casas de câmbio – exchanges, mas ao valor máximo de U$ 0.40 USD.

Por curiosidade e um extra: naquela época essas moedas virtuais eram vistas como muito arriscadas por milhares de pessoas, já que não havia nenhuma instituição financeira ou “fintech” por trás de seu controle e regulamentação, ou seja, completamente sem garantias de operação prática. Isso tornava o investimento pouco atrativo em relação a aplicações tradicionais em bancos ou até mesmo em títulos públicos do governo, por exemplo.

Veja também outros artigos